Unidade de ensino de Itacuruba, no Sertão do Estado, foi premiada por engajamento no programa de educação financeira Aprender Valor

A Escola Estadual Indígena Josefa Alice da Conceição, localizada na Aldeia Serrote dos Campos, em Itacuruba, município do Sertão pernambucano, foi premiada por seu engajamento no ciclo 2022 do programa de educação financeira Aprender Valor, do Banco Central do Brasil. A premiação foi realizada nesta quarta-feira (23), na sede da instituição, em Brasília, e contou com a presença da Secretária Executiva de Desenvolvimento da Educação, Tárcia Silva, e de uma equipe técnica da Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE). 

Adotado pela escola indígena do povo Pankará nas turmas de 1º ao 9º ano, o programa Aprender Valor tem o objetivo de estimular o desenvolvimento de competências e habilidades de Educação Financeira e Educação para o Consumo em estudantes do ensino fundamental de escolas públicas brasileiras. A iniciativa é desenvolvida em parceria com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). 

“Para nós, é uma grande alegria receber esse reconhecimento. Significa que estamos no caminho certo, que estamos fazendo e buscando sempre o melhor para as nossas crianças, porque o futuro é delas e o futuro da nossa ancestralidade está na mão dos nossos curumins”, celebrou Lucélia Leal, coordenadora geral da unidade de ensino, durante a cerimônia de premiação. 

O programa é executado a partir de projetos escolares que articulam habilidades relacionadas ao planejamento do uso dos recursos, à poupança ativa e ao uso responsável do crédito com conteúdos e habilidades de Matemática, Língua Portuguesa e Ciências Humanas previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “A aplicação do programa é acessível por ser uma vivência de projetos, prática essa que a gente já faz no dia a dia. Por essa razão, a gente não enfrentou grandes dificuldades. Todos os professores se engajaram, conseguiram articular a participação dos nossos alunos. Na vivência dos projetos, muitas vezes, o brincar está presente, a prática está presente e não só a teoria. Com isso, as nossas crianças se engajam e vivenciam tudo o que é proposto”, comenta Lucélia. 

Além das atividades para as turmas do ensino fundamental, o programa oferece avaliações para os estudantes e formação para a equipe gestora e corpo docente das escolas participantes. A Escola Estadual Indígena Josefa Alice da Conceição segue participando do projeto neste ano letivo de 2023. Em toda a rede estadual, mais de 300 escolas que oferecem ensino fundamental aplicam as atividades do Aprender Valor. A SEE fez adesão ao programa em 2021. 

“No Aprender Valor,  a gente ensina às nossas crianças que é importante sim planejar. Quando a gente aprende a fazer isso, poupamos a natureza, o meio ambiente. Cuidamos do que é sagrado, da vida. Quando a gente aprende que o consumo exacerbado não é interessante, não nos fortalece, significa que nós estamos aprendendo também a produzir nossos alimentos, a produzir o que é de fundamental importância para a nossa vivência no dia a dia”, pontuou a indígena Pankará que coordena a escola.